terça-feira, fevereiro 07, 2006

O Amor é um lugar estranho...




O Calor aperta e a tua sensualidade espalha-se entre ventos húmidos, fico com um sorriso tímido nos lábios enquanto esfrego os olhos para te ver melhor. Vens lá de fora sinto, Sinto que esses cabelos louros já foram veneno enfrascado para o coração de alguém, espelhas confiança entre longas pernas robustas de tanto as cultivares fisicamente. Reparo que o teu olhar é reconfortante para todos os homens que olham para ti. Sem me aperceber ficaste paralisada a olhar para a minha vizinha, sabia perfeitamente que as mulheres gostam de se comparar, de cultivar fortemente o sentido da moda, de medir o sentido das palavras umas das outras, mas nunca na minha cabeça pensaria que fosses lésbica. Relembro que não tenho nada contra qualquer orientação homossexual, a cada um compete essa escolha, e que ninguém tem nada a haver com isso. Mas olhando para aquela criatura deslumbrante sentia que o desgosto amoroso tinha sido a mais que provável consequência para o desvio sexual da atraente senhora, perto dos quarenta anos ainda se sentia o cheiro a juventude. Sem dúvida que aquela troca de olhares fintou-me perfeitamente, abismado fiquei a saber que sensualidade e a moda não se compara entre mulheres, compara-se afinal a importância de uma escolha sexual, e a completa descomplexidade em falar disso. Existem mulheres que se assumem como lésbicas outras que preferem um anonimato sombrio e frio em que até um simples olhar as fazem tremer de vergonha.
É sempre preferível (penso eu) pensarmos com a nossa cabeça sem olharmos as consequências que dai viram.
A minha vizinha ficou hipnotizada com tamanho acto de sedução, sentiu-se mulher de novo, sentiu-se como nunca antes se tinha sentido. O apalavrar desse momento foi o próximo passo, trocaram moradas e os encontros sucederam-se quase por impulso.
Seu marido nunca suspeitou como é que ela de repente ficou um autêntico furacão na cama, nem como alterou os seus costumes diários. As duas criaturas vivem agora um amor escondido, escondido numa lógica do prazer imediato, o amor também tem destas coisas, consegue transformar os seres humanos em óptimas pessoas.
Um amor escondido, nunca é um amor perdido…

5 comentários:

Ni disse...

«Um amor escondido nunca é um amor perdido»

Vêm-me à memória, numa sequência vertiginosa, passagens de livros, filmes, vidas que me confiaram em segredo...

Esta tua frase é plena, das que rematam um texto e criam textos paralelos em quem a lê.
Um amor escondido tem a intensidade do último momento, do último suspiro, do último olhar... e é inebriante, porque ávido de tudo abarcar.

Para quem acredita em amores felizes... o amor escondido é a felicidade secreta e cúmplice, que espelha nos olhos uma chama incomparável... que se chama 'estar vivo'.

...

Saudades de acreditar...

Ni*

Lara disse...

Bem, definitivamente a última frase é digna de reconhecimento. Mas acho que não conseguiria descrever melhor do que a Ni. Há quem definitivamente tenha o dom da palavra e do soltar de emoções. As minhas emoções são quase sempre como este amor: escondidas mas não perdidas.
Gostei muito.
Bjs.

Xein disse...

WWOOWWWWW!!!!!!!! O amor é um lugar estranhíssimo, mas vertiginosamente atraente....

Mas de preferência que não seja escondido.... Quanto ao tema de abertura de hoje: DDIIIVVINNAALLL!!! ADORO!!!!!!!!!!!!


You''re poisssoonnnnnn uuoohhhh

Freddy disse...

E fodido também como dizia o MEC...

Última Hora: Violentissima operação na blogosfera portuguesa... Zona Franca lança OPA sobre Abrupto

Xein disse...

Desafio para ti lá no meu estaminé!!! :)

Sente-te!!!