terça-feira, outubro 06, 2015

Corpo Fragil




Apesar de pareceres um corpo frágil, fiz questão de fazer teu corpo um mapa para o prazer. Pernoitei em cima dele depois de lhe ter conquistado o oásis. Além disso tens estradas e terras que jamais foram visitadas, pediste me que forçasse meu coração a gostar simplesmente de ti como por exemplo se gosta duma criança feita dum sorriso. Prefiro virar a cara a esse teu desejo, sei por experiência própria que não deve colocar os carros á frente dos bois…como sei que não devo me amarrar a alguém que faz do prazer o seu sentido de vida. És prostituta do prazer, mas viras sempre do avesso quem te quer dar algo mais, passas de mulher da vida a senhora quando me preparas um suculento pequeno-almoço e me dás um beijo de despedida.

Neste meu imaginário fútil também descobri que pertences ao meu mundo sonhador, aquele com que me sinto bem, a solidão neste caso é sempre compensada com um bom whisky num copo cheio de ternura, sei que pertenço a classe dos indecisos. Sei que mais tarde serei rei no meu lar…

terça-feira, maio 25, 2010

Ainda me encontro neste mundo...



Ainda vivo...Ainda te respiro, ainda me fazes sonhar...
A respeito da alegria da minha vida devo dizer que também ainda te recordo no dia que nasceste, parecias sofrer duma qualquer depressão sabendo que ias sofrer na pele as desilusões deste nosso mundo. Tens o poder de me conquistar...de me verter em lágrimas.

segunda-feira, setembro 28, 2009

O Meu Mundo.




Litros de alegria pedi eu ao mundo, mas ele só me deu meia dúzia de momentos felizes. Fez-se difícil quando o abracei perante toda a gente. Só o meu Mundo me faz perder o meu tempo livre, por causa dele sujeito-me a pequenas hipocrisias, até que ele um dia me vai perder. Tentarei que esse momento seja de curta duração visto não gostar de sofrer. Só quero estar sozinho até que o dilema passe, quero me fechar no meu mundo e não deixar que ninguém me perturbe. Quero pertencer aqueles poucos sujeitos que tem no seu escritório o “não perturbe”. Apesar de sentir falta do mundo, hoje em dia não tenho paciência para o aturar, tornei-me a partir deste momento dono de mim próprio, para o bem e para o mal.

terça-feira, setembro 08, 2009

Os Olhares.



Solto um sorriso quando vejo momentos de pura sedução numa estação do metro já envelhecida no tempo. Os olhares submissos de inquietação tornam-se muitas vezes em olhares sedutores, cheira já a amores de verão. Sentam-se frente a frente e disfarçam o olhar.
Olham para todo o sítio, mas pensam sobretudo se o outro olhar se rende a sua exclusividade, ao fim de alguns segundos rendem-se a evidência e olham-se nos olhos, olham-se com um ar picante. Aquele quente picante que nos faz quase suar…
Comprometem-se a ligar o botão da conversa, falam de temas banais…mas tudo isso pouco interessa, o que interessa é a pura sedução partilhada a dois. Interessa o que se esconde por detrás dum olhar. Faço de conta que não os estou a ver, faço de conta que sou figurante, vejo-os já semi nus prontos a consumirem-se…numa acto de pura paixão…

Chamem-me Louco…

quinta-feira, abril 16, 2009

Passou um ano...desde o ultimo post.



Metade do meu tempo é dedicado a ti meu filho, é a ti que devo a minha felicidade. As nuvens de ausência deste meu espaço ficaram marcadas pelo teu choro e pelo teu sorriso. Junto me a ti neste caminhar de vida e abraçarei aquilo que pensaste para a tua vida. Terás sempre o meu apoio e educação nesta tua primeira etapa, podes sempre contar com o teu pai. Facilmente a felicidade se apodera de mim quando te vejo a sorrir para mim agarrando-me na mão.

quarta-feira, março 04, 2009

quarta-feira, abril 16, 2008

Auto Destruição



Estavas sozinha naquele dia intenso de chuva matinal, tens perfeita consciência que neste tipo de situações todos nós ficamos a perder, ficamos a perder um ombro amigo, ficamos a perder algo mais que pequenos pedaços de orgulho.
Tal orgulho limitou-te nas tuas opções de vida, vivias presa a uma relação que podia se partir por derrame de tristeza, mas podias esperar pelo menos pelo fim do verão para me anunciares o adeus final. No verão tudo se pode perdoar…
Refiro-me a ti como um projecto precoce de alta tensão, tens uma explosão suficiente para fazer crescer um sol morto de paixão. Mas tens de perceber que tais lágrimas que agora derramas denotam um pingo de egoísmo, um egoísmo fantasma, mas tantas vezes presente na nossa relação. Demoras-te a entender que o amor rege-se também por algumas normas de bom comportamento, ser um amoroso rebelde não te ajuda em nada, antes tende a prejudicar-te nas tuas futuras relações.
Criamos laços suficientes para que um dia o futuro se lembre de nós como meros seres humanos, tão capazes de julgar o próximo sem sequer comprarmos um espelho lá para casa. Tornei-me o teu melhor sonho juntamente com o teu pior pesadelo, desfizemos malas cheias de ciúmes e traições, lidamos com queixas permanentes de vizinhos desejosos de sossego. Acima de tudo tentámos ser felizes, tentámos uma impossível união permanente, sem sucesso. Agora procuramos um sossego amoroso que não tenha correntes presas a nós.

sexta-feira, abril 11, 2008

Um Olhar de Anjo.




Sombras dum passado pouco conflituoso nascem de novo na minha memória, divago entre linhas neste longínquo horizonte, tento compreender o que me move neste mundo. Tento perceber que não sou só uma pessoa lutando contra o mundo, pois ao mesmo tempo sinto-me acompanhado pelo poderes do oculto, tenho nome de anjo chamo-me Gabriel e costumo passear por este mundo quando tenho tempo para isso.
Passo pelo poderoso Tejo com cheiro a agasalho frio de Inverno, sinto que ao renascer dentro de mim próprio tenho finalmente o poder de ocultar este perigoso mundo.
Escondo um mundo que cheira a egoísmo, cheira a uma tumultuosa cumplicidade, perde entre pessoas extraordinárias, ganha em terrorismo e ambição. Como um anjo voo de noite a procura de alguém que me faça acordar deste pesadelo, sintoma de crise pós moderna sinto-me entrar também num conflituoso stress.
Esta terra já não a mesma, mesmas as pessoas não se sentem as mesmas, as ruas continuam a ser as mesmas, mas as suas direcções mudaram, mudaram para pior, os engravatados finalmente governam a seu belo prazer, enquanto isso tentamos a todo o custo voltar a ser nós próprios sem sucesso.
Não me sinto associado a este mundo, tento trazer de volta o cheio a paz e a amizade que já reinou entre nós, a paz podre essa está sempre presente, tenho vontade de voltar a erguer um passado cheio de sonhos e amizades generosas.
Faço parte dos anjos que zelam pelo Castelo dos Sonhos, um Castelo que já pertenceu a este meu mundo, de vez em quando este castelo é arrasado por uma ténue tempestade de poder. Transporto em mim a coragem e perseverança de não deixar isso acontecer muitas vezes. Façam-me acreditar que ainda existe paz e amor neste mundo.