sexta-feira, abril 11, 2008

Um Olhar de Anjo.




Sombras dum passado pouco conflituoso nascem de novo na minha memória, divago entre linhas neste longínquo horizonte, tento compreender o que me move neste mundo. Tento perceber que não sou só uma pessoa lutando contra o mundo, pois ao mesmo tempo sinto-me acompanhado pelo poderes do oculto, tenho nome de anjo chamo-me Gabriel e costumo passear por este mundo quando tenho tempo para isso.
Passo pelo poderoso Tejo com cheiro a agasalho frio de Inverno, sinto que ao renascer dentro de mim próprio tenho finalmente o poder de ocultar este perigoso mundo.
Escondo um mundo que cheira a egoísmo, cheira a uma tumultuosa cumplicidade, perde entre pessoas extraordinárias, ganha em terrorismo e ambição. Como um anjo voo de noite a procura de alguém que me faça acordar deste pesadelo, sintoma de crise pós moderna sinto-me entrar também num conflituoso stress.
Esta terra já não a mesma, mesmas as pessoas não se sentem as mesmas, as ruas continuam a ser as mesmas, mas as suas direcções mudaram, mudaram para pior, os engravatados finalmente governam a seu belo prazer, enquanto isso tentamos a todo o custo voltar a ser nós próprios sem sucesso.
Não me sinto associado a este mundo, tento trazer de volta o cheio a paz e a amizade que já reinou entre nós, a paz podre essa está sempre presente, tenho vontade de voltar a erguer um passado cheio de sonhos e amizades generosas.
Faço parte dos anjos que zelam pelo Castelo dos Sonhos, um Castelo que já pertenceu a este meu mundo, de vez em quando este castelo é arrasado por uma ténue tempestade de poder. Transporto em mim a coragem e perseverança de não deixar isso acontecer muitas vezes. Façam-me acreditar que ainda existe paz e amor neste mundo.

1 comentário:

Feijoca disse...

até que enfim sr carlos...